domingo, 31 de julho de 2011

As primeiras 24 horas com fraldas laváveis

Imagem retirada do Google Imagens
Fiquei MUITO feliz quando elas chegaram! Eu estava há muito tempo querendo aderir às fraldas laváveis... mas demorei uns 4 meses para fazer do desejo realidade. Isso porque tinha medo de gastar dinheiro que não tenho com algo que não desse certo. Pesquisei, pesquisei, conversei, conversei... fiz questão de conhecer marcas nacionais antes de apelar para as "gringa" (até porque achava que sairia mais barato... ledo engano!) para dar uma força ao que é nosso, feito por gente como a gente!rs Mas no final das contas acabava sempre ouvindo a mesma coisa... que a BumGenius era uma das melhores... que não vazava nada. Bom, como o que é good nós num have ($$$) resolvi fazer o investimento na marca que se mostrava garantia de sucesso.

As primeiras 24 horas não poderiam ter sido melhores! Sucesso TOTAL! 

Não tive problemas para ajustar o tamanho da fralda na Joana. Esse modelo que comprei (4.0) é One Size, ou seja, vai do bebê recém-nascido até os seus 16kg. Joaninha já deve estar com uns 10kg, pois já usa a fralda no último tamanho! O recheio é fácil de colocar e como ela vem com um recheio para recém-nascidos também eu tenho colocado este por cima do bolso. Assim posso trocar só o recheio de fora, pelo menos uma vez (se não for xixi demaaaais) e estender o tempo de uso de uma mesma fralda. Durante o dia, ontem, utilizei 3 fraldas no total. À noite usei uma fralda com dois recheios grandes dentro do bolso. Ela ficou umas doze horas com a fralda, fez cocô de manhã e a fralda NÃO VAZOU! 

Pronto! Bastou para que eu virasse fã! Não imaginava uma adaptação tão rápida! Estou feliz da vida de já estar 24 horas sem jogar uma fralda descartável sequer no lixo! Valeu o investimento!! O meio ambiente e o bumbum da minha filha agradecem! 

E eu agradeço à Carol Pombo, à Luíza Diener e às outras mamis usuárias de fralda de pano que me ajudaram muito com suas experiências e informações. Todas foram fundamentais nesse processo! Agradeço - em especial - à minha amiga Diana que trouxe as fraldas dos EUA pra mim! Miss D. luv u!!

sexta-feira, 29 de julho de 2011

Ebaaaaaaaaa!!

Elas chegaram!!!

quarta-feira, 27 de julho de 2011

Furacão La Niña

Antes

.
.
.
.
.
.
.


Depois

segunda-feira, 25 de julho de 2011

Sorte boa

Eu e Júlia assistindo tv.
A menina do programa ia ganhar um irmãozinho e estava triste porque queria uma irmãzinha.


Júlia: Mãe,  ela queria uma irmãzinha...


Eu: Sim, filha...


Júlia: Como eu fui sortuda, né mãe?? Ganhei a 
Joaninha!



A sortuda e seu presente em tempos de catapora...

Sortuda sou eu, minha filha, que ganhei vocês duas!

sábado, 23 de julho de 2011

Sobre nascimentos e lançamentos

Quando eu estava grávida da Júlia só conseguia pensar em bebê, maternidade, enxoval, novas responsabilidades... do auge dos meus 19 anos eu passava horas pesquisando na internet sobre esses e outros assuntos. Foi quando comecei a ficar monotemática. Mas com a cabeça a mil essa era a forma que eu conseguia fazer acalmar a ansiedade... super valeu!

Logo descobri alguns blogs de mães que participavam de uma lista de e-mail's que eu acompanhava (e aproveitava para tirar minhas dúvidas). "Mães Empodeiradas"... ainda existe? Tem alguém aí dessa época? Achei aquilo tudo muito divertido e criei - ainda grávida - um blog para relatar os compassos e descompassos da minha gravidez. Falava muito de enxoval, do desenvolvimento da barriga, falei de frustrações e de perdas. E tudo terminou quando eu relatei o parto. Meu blog acabou ali. Aliás, minha vida online acabou com o nascimento da Juju. Parecia coisa demais para mim. Faculdade, filha e blog. Bobinha...

A gravidez da Joana fez com que eu me lembrasse daquelas longas horas ao computador... acompanhando a vida de outras grávidas, outras mães. Dei uma pesquisada em alguns blogs que ainda me lembrava o nome daquela época e encontrei uns 3... mas só o Circo do Lorenzo da Luciana - agora Miss Brasil - continuava hiper na ativa. Aliás, Lorenzo já tem 2 irmãos! Comecei a ler novamente... conheci novos cantinhos, novas histórias e resolvi fazer um novo blog... já estava com umas 17 semanas de gestação. Assim nasceu o 2-ao-quadrado. Mas por quase 1 ano ele ficou fechadinho só para mim... e para quem eu enviava o link. Até que eu me vi tão envolvida com algumas pessoas que tive vontade de me apresentar. Sair do medo da exposição e desfrutar do prazer da partilha. De lá pra cá ficou tudo ainda mais gostoso!

O 2-ao-quadrado ficou oficialmente público quando, pela primeira vez, participei de uma blogagem coletiva - Maternidade Real - que foi um sucesso... e o primeiro evento offline que participamos - Mamaço Nacional - fez crescer ainda mais a vontade de conhecer mais e mais pessoas e dividir as alegrias, angústias, conquistas e mágoas. Adorei ver ao vivo tantas mães e famílias que eu já tinha conhecido pelos posts.

O mais gostoso para mim de participar dessa blogosfera materna é sentir que sempre tem alguém comigo. Sempre tem uma palavra de força, uma crítica que me faz refletir, tem compaixão, sempre tem alguém com uma novidade, alguém mostrando um caminho a seguir, sempre tem alguém da turma do 'não concordo' que reforçam minhas convicções, alguém que já passou pelo meu momento e sempre tem AMOR. São tantos posts com textos e imagens lindos que inflam minha alma e encharcam meus olhos! Amo! Não sei mais viver sem... E olha que hoje tenho filhaS, marido, casa, trabalho... e blog! Sempre vai ter o tempinho pra ele, o tempinho que acima de tudo é meu.

A novidade agora dessa blogosfera materna é o Minha Mãe que Disse... um blog que foi idealizado pela Roberta e pela Flávia para concentrar num só lugar todas as cumadres blogueiras. Imagina só o zum-zum-zum... é falação que não acaba mais!!! :-) Gostou? Eu também... passa que vale a pena!

E, ah!!, é "claro que eu  estou participando do sorteio de lançamento do Minha Mãe que Disse!"

sexta-feira, 22 de julho de 2011

Joana


Imagem retirada do Google Imagens

Faz tempo não passo por aqui pra falar dela. Só dela. Dia 10 passado (olha o tamanho do atraso!) ela completou 9 meses de vida extra-uterina. Resolvi comemorar assando um bolo de chocolate feito com mistura para bolo orgânica! Aprovado! Ao final do dia fomos ao cinema. A primeira vez dela e a minha primeira vez depois que ela nasceu! Que saudades eu estava daquela sala escura, daquela telona gigante e daquela pipoca... hummmm! Ela se comportou super bem! Ficou um pouco inquieta e assustada nos trailers porque, convenhamos, o som fica alto demais. Depois pendurou no peitão e mamou e dormiu o filme inteiro! O filme escolhido foi "Os Pinguins do Papai". Achei bem bacaninha... tipo comédia Jim Carrey mesmo. Super bem feito! Recomendo!

Ah!! Na véspera, dia 09/07, ela começou a engatinhar de verdade e desde então não pára mais em colo nenhum! O negócio dela é chão, chão, chão!!!

quinta-feira, 21 de julho de 2011

De todos os sentimentos ruins...

... o pior para mim: Frustração


Imagem retirada daqui


Classe gramatical de frustração: Substantivo feminino


Separação das sílabas de frustração: frus-tra-ção


Plural de frustração: frustrações


Possui 10 letras


Possui as vogais: a o u


Possui as consoantes: c f r s t


A palavra Frustração escrita ao contrário: oãçartsurf


Fonte

quarta-feira, 20 de julho de 2011

Por que somos treinadas assim?


Imagem retirada daqui
 
A Júlia ganhou um livrinho da vovó que eu teria adorado não fosse por um detalhe... você já percebeu só de ver a capa??!

O livro é o "Meu Primeiro Irmãozinho" da Coleção Primeira Vez da Editora Girassol. A história é ótima pra preparar a criança que está prestes a dividir seu reinado... ou para aquelas que, como a Júlia, já são a criança grande da casa e nem sempre acham graça disso.

A leitura estava bem gostosa até quando lá pelas tantas a mamãe vai dar mamá pro bebê e... saca uma bela mamadeira (oi?). A Júlia - tão sábia minha pequena Júlia - já deu um jeito de amenizar minha revolta dizendo que a mamãe da história devia ter tirado o leite do peito e colocado na mamadeira... igual ela me viu fazer certa vez para a Joana.

Ufa!! Pelo menos pra minha filha o normal ainda é neném mamar no peito!

segunda-feira, 18 de julho de 2011

O valor da educação

A empregada da minha mãe ganha mais que a professora da minha filha.

Não desmereço o trabalho doméstico... de forma alguma! Aliás, só quem já suou um dia inteiro e ficou com mãos calejadas da vassoura e do rodo pra limpar uma kit (oi?) sabe dar valor a esse tipo de trabalho. Acontece que me preocupo muito com o nível de frustração que a realidade dos salários dos professores gera nesses profissionais. Porque uma atividade tão importante é tão pouco valorizada? Os professores, em sua maioria, trabalham o dia inteiro e ainda precisam preparar aulas ou materiais à noite e aos finais de semana. É uma jornada tão árdua que só sobrevivem os apaixonados. E como é bonito ver a paixão nos olhos de um educador! Além da escala puxada de horários, os professores ainda contam com uma carga extra de pressão dos pais e da própria escola. Pais que muitas vezes não participam da rotina escolar dos filhos, mas que não demonstram qualquer acanhamento em arvorar o indicador e ralhar desaforos e cobranças, certas vezes sequer apoiados de alguma base. 

Salários mais dignos e justos fariam todos ganhar mais. Os professores... eu, você e nossos filhos.

Imagem do Google

sábado, 16 de julho de 2011

Obrigado por fumar

Imagem daqui
Não sou muito de assistir tv, mas o marido adora (na verdade AMA, não vive sem, me trocaria por ela...) e aí, às vezes, no intuito de ficar um pouco com o marido tenho que ficar um pouco com ela também. Outro dia, num desses momentos, assisti uns trechos de "O Astro", nova minissérie da globo. Fiquei impressionada com a quantidade de cenas com atores fumando! Sei que a minissérie é um remake - se é que alguém pensou nisso como justificativa - mas se tantas coisas são adaptadas ou melhoradas... isso poderia ser mais uma delas. Acho que a imagem do fumo é muito forte e poderosa. Ainda mais quando associada a pessoas bonitas, lugares mágicos e momentos de prazer (numa das cenas em questão dois garotões musculosos fumam enquanto jogam conversa fora na praia tomando sol, tá bom assim?). Juro que preocupo, porque diferente do que foi pra mim, quero que minhas filhas cresçam sabendo que cigarro é droga, que não faz a gente mais bonito, nem mais cool.

"Obrigado por fumar" é um filme que faz uma crítica muito bacana à liberdade de escolha num mundo dominado pela propaganda. Leia mais sobre o filme aqui. Num trecho do filme o protagonista tenta fazer com que os cigarros sejam promovidos nos filmes de Hollywood... e aí pergunto: quem será que tá pagando a Globo?

sexta-feira, 15 de julho de 2011

Tudo novo, de novo!

E aí que depois de mudar os comentários eu empolguei e resolvi mudar tudo logo! Gostei desse template, mas quase não o coloquei porque o sol não está sorrindo! Depois imaginei que ele podia ser a representação das minhas sombras e do lado nem tão cor-de-rosa da maternidade.


Ainda não consegui fazer as páginas "Sobre o blog" e "Contato" funcionarem em seus devidos lugares. Estou a espera de uma alma entendida me ajudar. Se habilita??!

quinta-feira, 14 de julho de 2011

Arrumando a casa

Já faz tempo eu queria dar uma melhorada aqui no blog... e uma das coisas que me incomodavam eram os comentários. Aí vi a dica da Thata do Sem Firulas do DISQUS. Então que estou tentando me entender com a coisa... não sei se já comentei por aqui, mas sou meio topeira nesses assuntos htmls. Os comentários estão saindo com a fonte branca e quase não dá pra ler sem selecionar... mas juro que vou dar um jeito nisso. E se alguém já souber como fazer deixa a dica, tá?!!! Não pago, mas agradeço de coração!

Ah! Sem querer apaguei o meu perfil (kkkkkk é pra rir, né?!), mas é bom que eu já coloco em prática outra ideia... deixar uma página separada para o perfil. Assim que descobrir como fazer isso o perfil irá voltar, tá?! Não morram de saudades da minha carinha linda... ela já volta!rs

terça-feira, 12 de julho de 2011

Dos sonhos e das realizações



Imagem retirada daqui

Era uma vez um filho de uma procuradora do trabalho (falecida) que era filha de um desembargador. Ele tem um filho que é advogado concursado e morre de orgulho por ele. Um orgulho tão intenso que é fácil perceber a projeção deslocada. Ele nunca concluiu uma faculdade, mas manteve uma empresa por mais de 20 anos. A empresa nunca trouxe o tanto de status e dinheiro com os quais ele sonhou. E ele nunca cursou Direito. Hoje, no auge de sua crise da meia idade, ele olha para trás com pesar. O passado é repleto de oportunidades descartadas e possibilidades que só tomam vida na fantasia. Triste? Não muito... ele conquistou respeito por onde passou e conseguiu derrubar um muro que nunca devia ter sido posto de pé. Nunca sujou o próprio nome e não sabe nem de longe o gosto da miséria. Uma vida digna, muitos diriam.

Essa história para mim?! Um insight. Eu não quero comemorar meus 50 anos certa de que não fui tudo o que poderia ser. Ou tudo que gostaria de ter sido. Esse ano já irei completar meus 27... ui... tenho que correr! Não quero ser mais uma a olhar a grama do vizinho e me impressionar com o tanto que ele a mantém verde. E ver meu jardim cheio de pedras... as pedras que cultivei. Volto a estudar já!

Só não sei ainda como farei para me manter acordada depois das 22h sem poder tomar uma jarra de café... alguma dica??!



sábado, 2 de julho de 2011

O sono

Joana recém-nascida
Boas novas!

Os últimos meses foram bem difíceis por conta do sono (na verdade por conta da falta dele). Joana estava acordando mais ou menos de 2h em 2h. Eu estava MUITO cansada. Tratei de entrar pro time da cama compartilhada... mesmo meio a contragosto do marido. Foi a minha salvação! Pelo menos eu ficava na horizontal e tinha algum momento de descanso. Só que eu não consigo dormir profundamente junto dela. Uma porque a cama fica muito apertada (os bebês são incrivelmente espaçosos!!) e outra porque eu sempre tive receio de machucá-la (eu ou o pai) ou de sufocá-la (porque eu me cubro até os olhos). Enfim, compartilhar a cama funcionava em partes. Funcionava quando a exaustão era tamanha que poder cochilar já era lucro. 

O cansaço estava me deixando um tanto desgostosa da vida. Ficava mais irritada que o normal (lembra que eu sou fera?) e andava também sem vontade de coisa alguma. Lidar com as exigências diárias estava bem difícil e o casamento tava meio largado coitado. O tempo foi passando e as coisas foram... piorando. Joana começou a despertar assim que a colocava no berço. Ô trem chato! Ela nunca deu trabalho para cair no sono... (diferente da Júlia que quando bebê exigia bem mais atenção e energia relutando - às vezes - horas para dormir) mas o dorme/acorda me dava nos nervos. Sei que numa noite qualquer há mais ou menos 1 semana e meia atrás pensei que fazê-la dormir já no berço talvez fosse ajudá-la.

Preferi esperar alguns dias para vir aqui e registrar que MILAGROSAMENTE funcionou! E como tem dado certo!! Resisti um pouco em aplicar essa "técnica" porque eu gosto demais de tê-la em meus braços... niná-la ao som de brrrrrussss... ssshhhhhiiiiiiisssss... e huuuummmm... Amo! Abrir mão disso não era muito o que eu queria, mas resolvi observar se isso não seria o melhor pra ELA. E a rotina passou a ser assim: ofereço o peito o tanto que ela quiser (varia bastante... tem dias que ela fica uns 20 minutos mamando e tem dias que ela não mama nem 5) e enquanto ela mama eu faço carinho nela. Depois coloco ela em pé no meu colo para arrotar e vou fazendo mais carinho. Nessa hora ela já está bem molinha, mas ainda acordada. Aí eu a coloco no berço de bruços (porque tal qual a irmã é a posição de sucesso!) e sigo fazendo cafuné balançando suavemente o corpinho dela. Se rola uma agitação eu faço também um som tipo ssshhhhhhhhiiiiiiiiiiiiiiiiiiiii... Ela tem dormido entre 20h/21h e, geralmente, só acorda uma vez pela madrugada, despertando umas 6h (tá... isso pra mim ainda é madrugada e então eu a levo pra minha cama e enrolo ela por lá até umas 8h).

Alívio??!!! Mais que isso... sensação de missão cumprida! Um orgulho danado de ter conseguido entender a necessidade da minha filha mesmo sendo diferente do que eu gostaria. E como é bom dormir!!!

Boa noite!