terça-feira, 10 de julho de 2012

Mrs. Selfish

Já se pegou assim?
Caraca, eu ando me apercebendo muito mais egoísta que antes.
Na verdade, acredito que meu egoísmo em si não tenha mudado e, sim, a minha (auto) consciência.
Vou confessar. Sofro.

Imagem daqui

Sou dessas pessoas que já foram muito erradas. Muito bagunçadas.
Mas sou dessas pessoas que conseguiram se arrumar. Se organizar.
Agora preciso me controlar para não ser certinha demais.
Aliás, nem 8, nem 80 é algo que escuto há décadas. velha.

Sabe ex-fumante?
Geralmente, um indivíduo que consegue largar o fumo torna-se o ser mais intolerante da face da terra ao cigarro, fumaça e afins.
Bem, para completar eu sou ex-fumante.

Então que por ter me tornado perfeccionista eu diria que, hoje em dia, eu gostaria de ser...
bem... pode soar exagerado, mas é verdade... eu gostaria de ser... perfeita!
Perceber os meus erros e aceitar as minhas limitações são exercícios diários que valem por uma maratona.
É um jogo muito louco entre razão e emoção. Onde ganho quando o resultado dá empate.

Equilíbrio.

Seria interessante cobrar menos de mim mesma. 
Ou seria mais leve.

O fato é que tenho sido egoísta demais.

Se ao pensar, existo.
Ao perceber, mudo.




sábado, 7 de julho de 2012

O terceiro

Logo que Joana nasceu fiquei obcecada pela ideia de mais um filho. Acredito que toda aquela ocitocina correndo em minhas veias tenha contribuído para isso. Eu pensava muito em como seria a terceira gravidez, o terceiro parto, o terceiro bebê. Imaginava um menino, o Joaquim. É... o terceiro já tinha até nome. Questionava a hora certa de planejar o próximo. O que seria melhor? Uma diferença de idade menor ou um intervalo semelhante ao das meninas?

O tempo foi passando, Joana foi crescendo e, hoje, quase 2 anos depois vejo que eu estava num estado alterado de consciência mesmo!rs Por um lado é uma irresponsabilidade da minha pessoa pensar em colocar outra criança no mundo ainda sem ter condições financeiras de prover às primeiras duas o padrão de vida que desejo a elas. Por outro, quando eu pensava no bebê não realizava o fato de que ter outra criança envolveria começar tudo de novo! 

A gravidez nunca foi um bom momento para mim. Então, para ter o terceiro eu teria de engravidar de novo. Enjoar de novo, engordar de novo. E fico imaginando se eu não engordaria tanto assim, se não enjoaria tanto assim.

Os partos nunca foram como eu gostaria. Então, para ter o terceiro eu teria de tentar um parto normal de novo. Procurar um obstetra não cesarista de novo, acreditar nas conversas do médico de novo. E fico imaginando se eu não tivesse que apelar para a faca outra vez.

Minhas filhas nunca dormiram como eu gostaria. Então, para ter o terceiro eu teria de tentar ensinar um bebê a dormir a noite inteira de novo. E fico imaginando se o terceiro não tivesse problemas com o sono.

Não desejo mais o terceiro. Percebo que a vontade do de novo existia somente porque não querer significaria negar a possibilidade de vivenciar algum dia a gravidez perfeita, o parto perfeito, o filho perfeito.

Ando menos idealista. Graças!
Ando mais realista, mais pé no chão.

Eu já tenho a família perfeita.
Tenho um marido que me ama, filhas com saúde.

Desejo ser melhor pessoa, melhor mãe, melhor profissional. E isso já vai dar um trabalhão!

Out/2011

sexta-feira, 29 de junho de 2012

A pureza das crianças

Estava assistindo a um filme há pouco que me fez pensar na ingenuidade dos pequenos. 
Eu amo isso.

Mesmo quando elas se comportam de alguma maneira "sem-noção" que faz minha cara ficar no chão, sabe?
Ainda assim, eu acho a pureza um tesouro.

Imagem daqui

Tentei puxar na memória quando foi que deixei de ser assim. Quando foi que deixei de ser um diamante bruto e me tornei uma pedra [di]lapidada. Não consegui me lembrar. A sensação é que desde sempre fui "esperta". Sempre me julgaram madura, bem articulada, precoce. Sempre me senti aquém de tantas expectativas. Mas curtia ouvir essas baboseiras. Me achava!

O filme me fez pensar na Júlia também. No que ainda está por vir na vida dela. As experiências, os aprontos, as aventuras, os riscos. Eu espero que os anjos dela sejam tão ativos e presentes como os meus foram.

Sei que vou sentir falta de hoje. Um dia em que minhas filhas ainda acreditam em coelho da páscoa e papai noel. Mas também sei que é preciso deixá-las crescer.


domingo, 17 de junho de 2012

Perder

Imagem retirada do Google

Ando pensando na morte. 
Não tenho medo de morrer.
Tenho medo de perder.
Acho a morte triste, pesada e dolorosa. 
Para quem fica.
Acredito que quem parte vai em paz.
Quem fica tem que reaprender a viver.

O vazio não diminui, o buraco não se fecha, as lembranças não cessam.
Mas um dia o coração aceita a dor.
O curativo não cura a ferida, a cicatriz é permanente. 
Mas a gente se adapta.

Há os que se confortam na fé.
Há os que se tornam pessoas melhores.

É assim quando a morte encontra pessoas.
Ou quando uma relação precisa morrer.
Fica a dor da perda.
E a necessidade de começar de novo.

sábado, 9 de junho de 2012

Problemas com autoestima?

Experimente:

- Sorrir e cumprimentar todas as pessoas (conhecidas ou não) que cruzarem seu caminho. Você vai descobrir que aquele vizinho velho emburrado não é tão mau humorado assim e que o segurança do seu trabalho ganhou o dia com o seu "bom-dia"! Mas você também vai descobrir que existem pessoas que não receberam essa dica preciosa ainda... não se intimide por elas;

Júlia [agosto/2010]




- Investir em um creme antiidade;


Eu queria esse... [imagem daqui]


...mas só esse aqui coube no meu bolso! [imagem daqui]


- Largar a preguiça e acordar mais cedo para dar tempo de ficar bonita! É mais fácil se amar estando bem cuidada... Ah! Permita que o espelho diga todas as manhãs que você é a mais bela de todo o reino!rs Isso não é ser exibida, egoísta ou fútil. Quando a gente se acha bonita até o sexo fica melhor!; 


Imagem daqui


- Alimentar-se bem. Isso tem mudado minha vida! Deixar de comer açúcar adicionado e aumentar a ingestão de legumes, verduras e frutas tem me feito mais feliz e mais leve (nos dois sentidos da palavra!). Lembre de beber bastante água também;


Imagem daqui


- Deixar seus espaços organizados. Isso envolve a sala da casa, o guarda-roupa, a cama, o canto de brinquedo de seus filhos, a pia da cozinha, a mesa de trabalho, o carro... enfim, a bagunça suga nossas energias;


Esse blog tem dicas bem legais para acabar com a bagunça!


- Exercitar-se! Mesmo que você não curta... o bônus sempre compensará o ônus. Encontre tempo e disposição para isso ao menos 3 vezes por semana.

Sofrendo...


- Estender a mão a alguém e oferecer ajuda regularmente. Existem várias formas de fazer isso. Pode ser um trabalho voluntário, pode ser um help a um amigo ou a alguém da família... seja o que for é bem gratificante!

Imagem daqui

Por fim, se nada disso der certo... relaxe... sua menstruação deve estar chegando!

terça-feira, 15 de maio de 2012

Ontem voltei a ser uma mãe que trabalha fora.

A última semana de "férias" foi um tanto nostálgica. Senti uma ansiedade, misturada a uma alegria imensa, mas acompanhada de uma certeza angustiante de que daqui pra frente minha vida nunca mais voltará ao que era antes. Nunca. Lembro-me bem de um sentimento semelhante quando estava grávida de Júlia.

As próximas duas semanas serão de treinamento. Carga horária de 8h por dia. Hoje foi o segundo dia e eu já estou morrendo de saudades da Joana (que sempre passava as manhãs comigo). A academia também tem feito falta. Mas o curso tem sido ótimo e eu estou bastante motivada!

Não saber ainda exatamente onde irei trabalhar mexe com a minha cabeça sistemática. A curiosidade faz os dias passarem lentamente. 

Cheguei em casa cansada. Cuidei das meninas, das mochilas de amanhã, das roupas sujas, da louça, tomei um banho e na primeira acordada de Joana me deparei com minha maior aflição. A febre. Eu trabalhando o dia inteiro e filha doente. Não combina. Mediquei. 

Adianta rezar?!

segunda-feira, 7 de maio de 2012

Pontualidade x Escravidão

Sabe, descobri há pouco que existe uma distância imensa entre o conceito de pontualidade e a relação de escravidão com o relógio.

Imagem retirada daqui

Eu, que sempre me julguei (com orgulho) pontual, de repente percebi que sou escrava das horas. Isso estava gerando um estresse danado! 

Observando minhas amigas foi que consegui perceber o meu exagero. Uma marcava um encontro comigo logo depois de um almoço na casa da sogra. Sabe como são almoços na casa de sogra, né? Demora... ela nunca chegaria no horário que combinou comigo. Mesmo assim ela estava marcando. Certamente ela se atrasaria um pouco, mas tudo bem. Outra tinha uma consulta às 15h. Ela saiu de casa às 15h... e estava tranquila. Como o local da consulta era próximo ela se atrasou apenas 10 minutos. 

Essas duas situações banais mexeram profundamente comigo. Perceber que flexibilizar um pouco a agenda é permitido e que aceitar um atraso sem sofrimento é necessário tem feito de mim uma pessoa muito mais calma.

E quem é mãe de criança pequena sabe... é muita coisa para arrumar, juntar, lembrar, guardar, escolher, carregar. MUITA coisa. E por vezes é impossível dar conta de tudo perfeitamente. Ainda mais quando a mãe em questão tem mania de só sair de casa quando tudo, eu disse t-u-d-o está arrumadinho! É quase um TOC. Se deixo uma cama desarrumada ou um sapato fora do lugar, sofro.

Mas isso já é assunto para outro post!rs

sexta-feira, 4 de maio de 2012

Show do Palavra Cantada

De 14 a 23 de abril, Brasília foi presenteada com a 1a Bienal Brasil do Livro e da Leitura! Foi um evento muito bacana, cheio de atrações interessantes! 

No último final de semana da Bienal, fomos prestigiar uma das minhas bandas prediletas quando o assunto é música infantil. Curtimos o show gratuito do Palavra Cantada num palco armado no meio da Esplanada dos Ministérios.

Adorei a apresentação que durou mais de uma hora e como chegamos cedo acompanhamos até a passagem de som! Quem se animou de ir atrás até autógrafo conseguiu!

Sandra Peres e Paulo Tatit passando o som

Minha única crítica ficou por conta do horário do show. 10h da manhã o sol já estava insuportável! Perto do final do show ninguém aguentava mais o calor...

Por conta da temperatura escaldante curti mais o show do que as crianças. Não teve picolé, água ou chapéu que aliviasse o mau humor da Júlia, que além de tudo reclamava por não conseguir ver nada. As pessoas ficaram todas de pé... coisa que também não esperava... 

Adivinha que música era essa?

Joana ficou toda empolgada quando a Sandra Peres começou a bater as colheres de pau. Foi o clímax da manhã! "Sopa" é sua preferida!

E vou deixar um salve de agradecimento à minha sogra que topou esse programa comigo... sozinha eu não encarava não! Valeu sogret's!! :-)

quarta-feira, 2 de maio de 2012

Descartáveis biodegradáveis para festas

A professora da Joana pediu que eu enviasse 15 unidades de gelatina para uma festinha que eles fariam na escola (aniversariantes do mês). Aproveitei a ocasião para comprar copinhos biodegradáveis da nova linha Green Line da marca Regina. 

Os produtos dessa linha ecologicamente correta são todos produzidos a partir de fontes renováveis, são compostáveis e, portanto, devem ser descartados em lixo orgânico. São feitos do bagaço da cana e do amido de milho. Se decompõem em até 180 dias, sem liberação de resíduos tóxicos!

Além disso, são extramente resistentes! Eu SUPER amei e já deixo a dica para quem quiser usar nas próximas festinhas dos filhotes!

Imagem retirada daqui

segunda-feira, 30 de abril de 2012

Lição de persistência



Estava caminhando por aí e me deparei com essa formiguinha. Parei. Olhei. Admirei. 

Ela andava com essa folha imensa no lombo. Caiu algumas várias vezes enquanto eu a observava, mas ela apenas se recompunha, catava a planta novamente e continuava. 

Resolvi registrar a façanha da dona formiga para me lembrar - nos momentos difíceis - que para conseguir, basta não desistir.

sexta-feira, 27 de abril de 2012

O chá de fraldas da Joana

Não sei como nunca comentei aqui sobre o chá de fraldas surpresa que ganhei de minhas amigas quando estava grávida. Foi tão lindo!! Eu já estava com um barrigão de mais de 7 meses, mas nada me fazia querer badalar aquele momento. Estar gerando mais uma princesa era algo que me encantava. Porém, o casamento estava em ruínas e a gravidez foi tensa. Por conta dessas e outras, a ideia de planejar uma festa não me animava. Mas fui surpreendida pelo amor verdadeiro de grandes amigas! Combinamos um café-da-manhã só para garotas... e ao chegar...

Mesa do café-da-manhã

Algumas "garotas"
Detalhe da decoração

Muitas joaninhas!

Júlia com o balão pintadinho


Amigas

Diana - amiga que tenho como irmã...
Eu gigante e as fraldas

Matheus (filho da Diana) e Júlia
Acho que nunca agradeci o suficiente... e acho que elas nunca souberam o quão importante aquele dia foi para mim! Obrigada, meninas!! Obrigada, Di!!

quarta-feira, 25 de abril de 2012

O lado negro

Quando engravidei de Joana, fiquei muito sensível às notícias ruins. Não aguentava saber de nada triste ou terrível... caia em lágrimas e sofria. Não era só um "se emocionar"... eu passava mal. Carregava aquela angústia comigo por dias. Decidi, então, parar de assistir aos noticiários, por exemplo. Todos muito carregados no sensacionalismo, ficava deprimida. 

Joana nasceu e eu continuei alienada. Confesso que curti essa história de estar por fora das fofocas televisivas. Deixei de assistir novelas também. Porém, voltei a estudar para concurso e quem já fez, sabe... é preciso estar antenado. Já respondi muitas questões de atualidades com matérias da CBN! Aí, junto dos concursos e dos noticiários vieram as notícias ruins. Isso, claro, deixando de lado os compartilhamentos deploráveis que vira-e-mexe apareciam no meu feed do facebook. Cansada de excluir amigos, resolvi excluir meu perfil. Não tenho sentido falta.

Toda essa introdução para falar do quão mal fiquei ao ouvir uma notícia, dia desses, que relatava a morte de um bebê de 6 meses por maus tratos do pai (e conivência da mãe). Foi numa cidadezinha próxima daqui de Brasília. Não vou entrar em detalhes, não vou dizer mais do que já foi dito. Não vou linkar a notícia. Chorei. Choro ao relembrar. Fico me perguntando o quanto não sofreu também esse homem para virar esse monstro. É uma bola de neve. Senti o peso da minha responsabilidade como formadora de caráter. Tive pena da humanidade. Pedi que Deus recebesse esse anjo com muito carinho e que olhasse pelos outros tantos que ainda sofrem por aqui. 

Precisamos de mais amor.

Vou ficar um bom tempo sem mais notícias...

segunda-feira, 23 de abril de 2012

A escola e os livros

A escola das meninas tem um foco muito bacana na formação de leitores. Admiro muito o projeto que eles tocam - idealizado por Maurício Leite - intitulado Mala de Leituras (já contei um pouco sobre isso aqui). Outra atividade de incentivo à leitura que eles proporcionam algumas vezes durante o ano é o Sarau Literário - encontro com autores. Um momento muito gostoso em que as crianças (e os cuidadores) podem ver e ouvir os escritores contando suas histórias. Cada turma/ano lê um livro e prepara uma homenagem para ser entregue aos autores. Ao final do encontro as crianças fazem fila para autografar seus livros! Uma graça!!

Mês passado teve Encontro com AutorAs. Fomos prestigiar o trabalho de Rosângela Vieira Rocha e Solange Cianni.

Novos livros para nossa "biblioteca"
Solange Cianni

Rosângela Vieira Rocha

Foi uma manhã deliciosa!! Parabéns às autoras! 

sexta-feira, 20 de abril de 2012

Sacola de camiseta

Não sei de quem é a ideia e/ou a imagem... se for sua me avisa que vou ADORAR lhe dar os créditos!

quinta-feira, 19 de abril de 2012

Sobre trabalho, medo, filhas e Deus

Finalizei essa semana a entrega dos meus documentos para a qualificação no concurso em que fui convocada. Foi um período tenso, pois há um prazo de 10 dias úteis para a apresentação de toda documentação (que envolve certidões negativas de todos os tipos e alguns exames). Enfim, deu tudo certo no final, mas tive uns contratempos no caminho. Certo dia, cansada de tantos imprevistos e estressada com o prazo que estava chegando ao fim, chorei. Na verdade, desabei. E aí, num desses momentos em que a gente questiona Deus, lancei em voz alta uma reclamação... algo tipo "Por que tudo tem de ser tão difícil sempre??". A minha diarista, que é uma querida de muito tempo,  me viu crescer e acompanhou todas as minhas aventuras  sempre com uma discrição incrível, falou: "Que graça teria a vida se não fosse assim, não é mesmo?". É mesmo! A sensação de superar desafios e dar conta do recado é o que me move... 

Ontem recebi a notícia de que minhas "férias" terminam no dia 14/05. Senti um misto de alegria e preocupação. Muito feliz, mas com um friozinho na barriga pelo novo que chega. Estou sem trabalhar desde dezembro passado, mas trabalhava na empresa da família, então quando as meninas adoeciam eu tinha liberdade para estar com elas. Essa regalia não me será concedida. Mães que trabalham fora... como lidar? Isso é o que mais tem me tirado o sono. Talvez porque Joana está em meio a uma virose chata que já rendeu uma febre de mais de 3 dias. Tentei um encaixe na pediatra hoje, mas não consegui... talvez amanhã. Assim que começar a trabalhar as crianças ficarão 3 horas a mais na escola, portanto semana que vem começo uma adaptação a esse novo horário. Acho que será tranquilo... Joana ama a escola, só precisa conhecer as professoras que estarão com ela pela manhã. Júlia está achando o máximo chegar mais cedo! Meu coração aperta apenas em pensar nas tantas vezes em que elas adoeceram ano passado. Reza forte para que nesse ano elas estejam mais fortes!

Esse concurso foi um enorme presente em minha vida. Aliás, para a família toda! Poderei me organizar e tomar posse das minhas finanças aos poucos. Sinto-me extremamente grata por essa convocação ter saído, mas vira-e-mexe me pego pensando se eu não tivesse sido chamada... o que seria de mim depois que as parcelas do seguro-desemprego acabassem? Eu não tinha um plano B para pagar as minhas contas. Sabia que continuaria estudando, mas isso seria um fruto para o futuro. Do que viveria agora? Aí, curiosamente, hoje cedinho recebi uma ligação de uma empresa oferecendo uma vaga. Agradeci a oportunidade para a moça e depois agradeci a Deus pela resposta à minha dúvida. Eu estaria cuidada... de uma forma ou de outra.


Imagem retirada do Google

quarta-feira, 18 de abril de 2012

Atitude!

Imagem daqui
Recebi esse texto por e-mail. Confesso que não tenho mais muita paciência para algumas mensagens que rodam pela internet... mas gostei dessa pela simplicidade, pela objetividade e, claro, pela verdade.
Ressinto por não sabermos viver assim desde sempre... por termos de aprender, ler e reler textos como esse para tornamos a criar inspiração. Já aviso... não há nada que você não saiba, mas nem tudo você coloca em prática. Por que mesmo? Enjoy...

PS: Meu projeto ...30 DIAS DIET... nasceu de uma dessas análises internas. O que me impede de me alimentar bem, de me exercitar? Só saber que é melhor para mim não basta?!

Ah!! E estou firme e forte na dieta! Adorei as mensagens de incentivo e apoio... Obrigada! Ter uma torcida junto sempre ajuda! Já passou lá pra ver? Clica aqui!

::
::

Atitude
Por Paulo Roberto Gaefke 

Sinto dizer que sem esforço nada vai acontecer!
Não adianta reza forte, nem macumba com 20 velas.
Se você não se decidir pelo primeiro passo, se você não sair desse quarto,
nem os anjos e nem Jesus poderão te ajudar, se você não se ajudar! 

Quer emagrecer? Caminhe todos os dias,
pare de dizer que não tem dinheiro para a academia.
A rua é livre, de graça e está te esperando, seja noite, seja dia. 

Quer um novo emprego? Estude algo novo, aprenda um pouco mais do seu ofício, faça a diferença 
e as empresas vão correr atrás de você! 

Quer um novo amor? 
Saia para lugares diferentes, assista a um bom filme, 
leia um bom livro, abra a cabeça, mude os pensamentos, 
e o amor vai te encontrar no metro, no ônibus, na calçada,
e em qualquer lugar, pois você será de se admirar.
Pessoa que encanta só de olhar... 

Quer esquecer alguém que te magoou? 
Enterre as lembranças e o infeliz! 
Valorize-se criatura! 
Se você se valoriza, sabe quanto vale;
sabendo quanto vale não se troca por qualquer coisa.
Se alguém te deixou é porque não sabe o seu valor.
Logo, enterre a criatura no lago dos esquecidos.
E rumo ao novo que o novo é sempre mais gostoso... 

Quer deixar de dever? 
Pare de comprar. 
Não faça dívida para pagar dívidas! 
Nunca! Jamais! 
Faça poupança e pede para o povo esperar.
“Devo, não nego, pago quando puder.”
Assim, a cabeça fica livre e você vai trabalhar.
Em breve, não terá mais nada para pagar... 

Quer esquecer uma mágoa? 
Limpe o seu coração, esvazie-se... 
Quem tem equilíbrio não guarda mágoas.
Só as pessoas com problemas emocionais é que se ressentem.
Ficam guardando uma dor, alimentando como se fosse de estimação. 
Busque o equilíbrio emocional. Doe-se, ame mais e tudo passa.

Quer viver bem? 
Ame-se! 

Felicidade é gratuita, não custa nada.
É fazer tudo com alegria, nos mínimos detalhes. 
Pergunte-se e se achar resposta que te satisfaça, comece tudo de novo: 
- Pra que 2 celulares?1 pra cada orelha? 
- Pra que 3 computadores, se não tem uma empresa?
- 4 carros? 
- 6 quartos se é você e mais 1 ou 2? 
- 40 pares de sapato, se tem apenas 2 pés? 

A vida pede pouco e nós precisamos de menos ainda.

Acorde enquanto é tempo e comece a mudança, antes que o tempo venha e apite o final do seu jogo!

domingo, 15 de abril de 2012

...30 DIAS DIET...

Certa vez comentei por aqui o segredo da dieta perfeita, lembra?

Então... cansada da minha insatisfação eterna com meu corpo e da minha alimentação precária resolvi cortar açúcar e refrigerante por 30 dias. 

A brincadeira vai ter cara de coisa séria e vou relatar diariamente em um outro blog a aventura desse período de desintoxicação. 

Além de descrever minhas percepções com essa nova dieta vou também fazer um acompanhamento estilo antes e depois.

Vou precisar de força na peruca, então já pode começar mandando good vibes pra mim, tá?!


Vou adorar conhecer as experiências de quem já se atirou num projeto verão desses!! Você já?!

sexta-feira, 13 de abril de 2012

Careta e chata

Lembro-me bem de achar a minha mãe uma pessoa excessivamente careta e chata. Eu também a achava muito boa, mas tão boa que era ela a número um do meu ranking de... bem, de pessoas boas. Era como se minha mãe estivesse no alto de um pódio e alcançá-la não era para mim. Acho que por ter sido uma criança trabalhosa, dessas cheias de saúde, entende? acho que por isso eu me sentia menor, pior. Distante.

Eu que sempre fui taxada de madura, inteligente, cheia de potencial, passei a adolescência inteira sem entender porque minha mãe tinha que ser tão careta e chata. Parecia que o mundo inteiro podia fazer tudo o que eu queria fazer e não podia. Minha mãe não deixava. Eu tocava Clarisse no meu violão mal afinado e me identificava tanto com aquela dor. A decadência da letra é tamanha que minha mãe careta e chata chegou um dia a proibir a música em casa. Percebe? Eu sou era intensa.

"Eu sou um pássaro 
Me trancam na gaiola
E esperam que eu cante como antes
Eu sou um pássaro
Me trancam na gaiola
Mas um dia eu consigo existir
E vou voar pelo caminho mais bonito"




De repente, como num déjà vu, ouço minha filha me chamar de chata. Várias vezes ao dia. Ela ainda não é adolescente grazadeus e talvez por isso ela ainda não me julgue careta. Ou, simplesmente, ela ainda não saiba o que é isso. Enfim, é questão de tempo. 

Pensando nisso tudo, realizei o tanto que essa mãe careta e chata está internalizada em mim. Não preciso mais  buscar saber quem eu sou ou para quê vim com toda aquela rebeldia, toda aquela raiva. Ao passo que os dias, meses e anos passam mais rápido (porque é assim para todo mundo) sinto uma quietude se instalar ao poucos. Antes era como se o mundo fosse acabar amanhã. Agora tenho menos tempo, mas vivo melhor o tempo que tenho. 

Entendo bem que minha mãe era careta e chata porque ela me amava e se preocupava. Por tantas vezes desejei que ela esquecesse um pouquinho da minha existência. Como pude? 

Por que demoramos tantos anos para conseguir assimilar certas coisas? 

Júlia olha pela janela as crianças do prédio brincando na rua. Já são mais de 20 horas e eu não permito que ela fique na rua esse horário. Ela se deita às 20h30 sem entender porque sou tão chata. Dou-lhe um beijo de boa-noite e digo "eu te amo". Não há outra forma de explicar.

Às 22h interfono para o porteiro: 
- "Esses moleques não tem mãe não?"
- "É o barulho, dona? Vou lá acabar com a brincadeira que já são 22 horas."
- "Obrigada!"

Careta? Eu?

terça-feira, 10 de abril de 2012

1 ano e 1/2


Meus cachinhos dourados...
hoje você completa 1 ano e meio! 
Não vai ter bolo, nem brigadeiro... até porque depois da Páscoa ninguém merece mais chocolate! Mas já te abracei de um jeito especial e te dei um beijo de amor!
Hoje fiquei observando você de longe pra ver se ainda consigo me lembrar de quando não tinha Joana na minha vida. 18 meses nunca pareceu tanto tempo assim. 
Você é uma menina de muita luz. Emana alegria, sabedoria.
Ser sua mãe me deixou mais verdadeira, mais pé no chão.
Brilhe, minha filha!

terça-feira, 3 de abril de 2012

O grande dia!

Imagem daqui
Ontem recebi uma notícia aguardada por muito tempo. Fui convocada em um concurso que fiz em meados de 2008! Na época, quando vi o resultado da prova achei que a colocação não tinha sido boa o suficiente para ser chamada. E ainda teve um problema na justiça com o concurso anterior. Desencanei de vez... Parecia perfeito, mas não era para ser. Eu estaria me formando no final daquele ano e esse seria um ótimo começo. Mas não foi.

Qual não foi minha surpresa quando fui avisada no início do ano passado que estavam, enfim, convocando os aprovados desse concurso? Busquei a fé lá não sei onde para começar uma contagem regressiva que parecia não ter fim. Eram mais de 1.000 pessoas na minha frente. Estava cansada e decidida a mudar o rumo que eu tinha escolhido para minha vida profissional. Seria o momento perfeito. De novo. Agora com mais responsabilidades... casa, marido, 2 filhas.

Ontem essa agonia acabou! Não é o fim de nenhuma jornada. É apenas o início de tudo! Fui convocada e agora um novo momento começa na minha vida. Estou feliz de um tanto que nem mil post's seriam  bastantes para descrever! Só quem já se sentiu flutuando na vida, perdido, sabe a emoção que estou sentido!!

Obrigada ao bom Deus que sempre está comigo, mesmo quando eu não entendo muitas coisas ou questiono com dúvida outras tantas. Obrigada aos meus pais que acreditam em mim e apoiam minhas escolhas. Obrigada ao meu marido que sorria a cada convocação que saia e fazia da minha espera mais gostosa. Obrigada à minha sogra e cia por tanto carinho. Obrigada às minhas amigas lindas e presentes que dividiram comigo a ansiedade que não caberia só em mim. Obrigada, obrigada, obrigada!!!

Minhas filhas... vocês são a razão de tudo isso!

segunda-feira, 26 de março de 2012

Formalmente UNIDOS!

Faz tempo eu queria formalizar minha união com o Juan. Querer eu queria mesmo casar. Mas ainda não temos condições para bancar toda a parafernália necessária para uma festa com os bons amigos e os familiares. Nem sabemos mais se queremos uma festa ou uma grande viagem. Sei que não temos grana... ainda.  Para coisa alguma.

Hoje acordei com a macaca! Não sei se tive algum sonho... sei que despertei no maior espírito "What happens in Vegas, stays in Vegas". Vesti uma roupa provocante, subi num salto condenado ao abandono pós-maternidade, pintei os lábios com brilho e convoquei o homem. "Vamos ao cartório!". Arrumei as "daminhas" com roupas iguais e partimos!



Agora só faltam as alianças...

sexta-feira, 23 de março de 2012

Copos de papel

A escola das meninas apresentou uma novidade ecológica semana passada. São os copos descartáveis de papel. Ecopo.






Claro que eu achei o máximo, né?!
Quer conhecer mais? Dá uma olhadinha no site do fabricante!

quarta-feira, 21 de março de 2012

Doubt*

Por que brigamos tanto?
Por que para toda pergunta minha há uma contestação sua?
Por que você tem defeitos tão parecidos com os meus?
Por que é tão difícil?
Por que eu não tenho todas as respostas?


Imagem retirada daqui
* O título e a imagem que ilustra este post são de um filme que assisti hoje. Nada tem a ver com o conteúdo do post em si... a não ser pelo fato de serem dúvidas.

sexta-feira, 16 de março de 2012

Peito e pizza

Muitos se incomodam com a amamentação prolongada. Existem discussões de todos os tipos. Os que se posicionam contra dizem que causa dependência. Os que são a favor lembram da indicação da Organização Mundial da Saúde (aliás, pela OMS recomendar a amamentação até os dois anos OU MAIS, acho que o termo PROLONGADA deveria ser aplicado somente a partir daí. Mas, atualmente, é incomum ver bebês amamentados por mais de um ano). Os contra reclamam da estética do ato. Tipo, "se for amamentar por dois anos, faça isso em casa" ou "Esse negócio de bebê que anda e mama é estranho".

Joana mama. Recuso-me a dizer ainda e por aí você já é capaz de descobrir minha posição nesta questão.

Ela sempre mamou a qualquer tempo e sempre preferiu o peito a qualquer coisa. Então ela mama mesmo de barriga cheia, porque o peito alimenta para além do estômago. Mas a finalidade desse post é contar um caso.

Foi assim.

Era sexta-feira e eu adoro comer pizza às sextas-feiras. Sei lá porquê. Estávamos sozinhas, Joana e eu. Júlia estava brincando com os amigos embaixo do bloco. Regalia reservada também para as sextas-feiras. Tocou a campainha enquanto eu amamentava. Era o moço da pizza. Joana reconheceu a caixa. "Papá". Coloquei-a (a caixa e não a Joana) no balcão da cozinha americana e voltei para o sofá. Percebi a agitação da pequena, mas ignorei propositalmente. Sentei, saquei as tetas e ela negou! Inédito! Apontou para a caixa e falou "Papá". Ela estava decidida. Fomos comer pizza, então.

Moral da história.

Para os que se incomodam com o fato da minha filha mamar no peito aos 17 meses ou para os que se preocupam no atraso que ela irá sofrer diante deste fato... acalmem-se. Ela não pediu peito. Pediu pizza.