sexta-feira, 17 de fevereiro de 2012

Era uma vez... o fim das fadas!

Adoro as conversas fantasiosas da Júlia. Ela é capaz de passar muito tempo imaginando coisas, pessoas, situações. Algumas datas contribuem muito para que a cabecinha dela trabalhe a todo vapor. O Natal, a Páscoa... mas o que eu mais gostava era quando caia um dente. As fadas, de um modo geral, sempre me ajudaram muito. Além de levarem os dentes, também já levaram mamadeiras e chupetas. Mas eis que chegou o dia:
- Mãe, eu preciso saber de uma coisa. Mas preciso saber DE VERDADE. 
- Fala, filha. Mamãe não mente pra você.
- Mãe, é você que coloca o dinheirinho debaixo do meu travesseiro?
- ............................ Por que, filha? 
- É ou não é, mãe?
- Filha, o que importa é se você acredita nas fadas ou não. Elas sempre vão existir enquanto você acreditar nelas!
- Tá, mãe, mas eu preciso saber se é você que colocou os dois reais debaixo do meu travesseiro.
- ....... foi .........
- SÉRIO, mãe?!!! hahahahahahaha E foi você que pintou a nota de rosa??
- Não, isso não. Eu juro!!

E aí achei que não tinha sido tão traumática assim essa revelação desconcertante. Mas uns dois dias depois, no carro, ela contou que estava triste com isso. 

Eu também, filha... :-/

Imagem retirada do Google
 “…hoje em dia as crianças sabem tanta coisa que logo deixam de acreditar em fadas. E cada vez que uma criança diz: ‘Eu não acredito em fadas’, em algum lugar uma fada cai morta.” (Peter Pan, p. 47)

Um comentário:

Paloma, a mãe disse...

Aaaahhh, fiquei triste também. Mas é chegada a hora, né? E eu nem sabia que a fada vinha para todos os dentes, achei que fosse só o primeirol, ahahaha.
Beijos